Mulher gerando compras Online

Tecnologia na gestão do mercadinho ao hipermercado

Segundo dados divulgados em junho de 2020 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE),  o segmento de hiper e supermercados foi o que mais gerou empregos em 2018 no Brasil, além de assumir a liderança na participação da receita líquida no comércio brasileiro. Trata-se de um setor que tem conseguido se manter em crescimento, apesar de todas as dificuldades econômicas pelas quais o Brasil passou nos últimos anos.

Em 2018, havia no país cerca de 1,5 milhão de empresas do gênero no país, que empregavam juntas mais de 10 milhões de trabalhadores. Portanto, trata-se de um setor tão importante para a nossa economia quanto competitivo. Ser bem sucedido nesse ramo exige a implementação de uma administração cada vez mais profissional e fundamentada, das empresas familiares, os famosos “mercadinhos” de bairro, aos hipermercados pelo país afora.

É aí que entra a tecnologia. No post de hoje, mostramos como ela pode ser aliada de uma gestão focada em resultados, com base em inovações especificamente voltadas para o setor. Continue a leitura e saiba mais sobre a verdadeira revolução tecnológica que já está em curso para que a sua empresa não fique para trás.

Novo perfil de consumidor, novas soluções

Segundo dados da Associação Paulista dos Supermercados (Apas), as compras online em supermercados de determinadas regiões do país cresceram até 107% no mês de março de 2020. É preciso ter em mente que as vendas digitais nunca foram a principal fonte de renda dessas empresas – segundo especialistas, o canal online representa apenas entre 1% e 5% do faturamento do setor.

Essa mudança foi motivada por uma situação passageira – a necessidade de adotar medidas que restringem a circulação devido ao avanço do novo Coronavírus. Contudo, é de se esperar que, mesmo depois de a pandemia passar, os hábitos de comprar remotamente permaneçam para muitos consumidores. Segundo projeção global realizada pela Statista realizada antes da pandemia, até o ano de 2025, 20% do consumo de produtos de supermercado serão feitos por comércio eletrônico.

Então, uma estratégia fundamental para este período e para os tempos vindouros é investir em aplicativos (apps) de compras. Por meio dessas plataformas digitais, que o cliente pode baixar em seu smarphone, é possível encontrar todos os produtos à venda na loja física. Assim, é possível evitar filas, economizar tempo e fazer o pagamento com segurança. Além disso, em alguns casos, é possível escolher entre receber a compra em casa ou retirar na própria loja.

A primeira decisão que a empresa deve fazer é a respeito dessa ferramenta tem que ver com o tipo de app – app nativo (construído em uma linguagem exclusiva para um determinado sistema operacional), web App (uma espécie de site desenvolvido exclusivamente para dispositivos móveis) ou app híbrido (uma mistura de um aplicativo nativo e um web App).

Estratégias de marketing personalizadas

As experiências de consumo no varejo supermercadista estão ficando cada mais personalizadas, o que permite implementar estratégias de marketing muito mais direcionadas e eficazes.

Com o simples aplicativo que mencionamos no tópico anterior, a empresa pode implementar um programa de fidelidade ou ofertar preços diferenciados para quem efetuou o cadastro. Na hora da compra, o cliente informa o CPF e o desconto aparece automaticamente. Trata-se de uma forma muito eficaz de fidelizar, evitando visitas à concorrência como forma de garantir todos os descontos.

Além disso, é possível manter uma relação muito mais próxima o consumidor, oferecendo-lhe promoções com base no perfil de consumo gerado pelo aplicativo. Imagine que um cliente comprou um determinado tipo de sabão em pó nos últimos meses. Se entra uma promoção desse produto, é uma excelente ideia que o aplicativo emita uma alerta que aparecerá na tela do celular desse cliente. As chances de compra são muito maiores, porque estão direcionadas a reais consumidores daquele produto.

De olho nas tendências de consumo

Imagina que um programa de TV dita um súbito e duradouro interesse por determinados ingredientes? Se você se souber dessa tendência, poderá se antecipar, reforçar os estoques e posicionar esses produtos nas lojas de forma mais estratégica.

Ficar de olho nas tendências de consumo significa saber com antecedência quais produtos terão maior saída. Uma ótima ferramenta para é o Google. Por exemplo, se a empresa apurar que nos últimos meses a busca por ingredientes da culinária japonesa cresceu 45%, o estabelecimento pode equipar uma seção voltada para esses produtos. Além disso, pode fazer promoções direcionadas, como a “Noite da Comida Japonesa”, com descontos em dados produtos.

Uma tendência de consumo generalizada, já detectada nos mecanismos de busca como o Google, é a dos produtos naturais e ecológicos, produzidos com preocupação ambiente. Isso significa um diferencial competitivo para os estabelecimentos que ofertarem tais produtos em suas prateleiras.   Para ficar de obter tais dados de consumo, é só se inscrever na newsletter Think with Google.

Mobilidade no checkout

Imagine um domingo de casa cheia, com filas e demora no checkout, o que chega até a atrapalhar a passagem de clientes pelo corredor principal. Uma solução para esse tipo de situação é o chamado PDV Móvel, um sistema que permite o gerenciamento de todas as informações do seu ponto de vendas pela internet.

Basta um smartphone com leitor de código de barras para que um funcionário possa fazer o checkout fora do caixa, abordando, por exemplo, consumidores com poucos itens que provavelmente desistiram de permanecer na fila para uma compra de menos de dez itens. Ao final da transação, o próprio dispositivo envia a nota fiscal para o fisco e para o consumidor. Simples, fácil e muito prático!

Precificação inteligente

A precificação é um aspecto importante para a lucratividade de qualquer empresa do varejo.  Como usar a tecnologia para tornar esse aspecto mais eficiente?

A solução está na precificação dinâmica, sujeita a alterações mais frequentes, de acordo com alguns fatores pré-estabelecidos. Imagine, por exemplo, que em determinado dia, houve um significativo crescimento na demanda por determinado item durante algumas horas. Se o gestor perceber que há uma boa oportunidade para aumentar o preço desse item, com o uso de etiquetas eletrônicas, conectadas ao sistema do estabelecimento, basta fazer a alteração quase que instantânea no sistema. Essa solução pode ser usada também para fazer promoções relâmpago para milhares de itens, por apenas algumas horas.

Em cada vez mais desafiadores, é essencial buscar melhorias em todas áreas. Se você que injetar tecnologia no seu negócio e colher os frutos dessa mudança,  entre em contato conosco. A PD Sistemas tem soluções que vão mudar a maneira você gere o seu supermercado.

Bom, por hoje, é tudo. Para receber outras dicas práticas voltadas para os negócios e continuar se atualizando constantemente, assine a nossa Newsletter e siga nossas redes sociais agora mesmo. Estamos no  FacebookInstagram e no Linkedin.

Até o próximo post!

PD Sistemas – Gestão de Resultados 

Veja outros conteúdos