Uma pessoa com o óculos da realidade aumenta (virtual) - PD Sistemas

Saiba como impulsionar a sua produtividade com a realidade aumentada (virtual)

Durante a maior parte da história, a produtividade era determinada em função da capacidade humana: quanto mais homens e mulheres caçavam e coletavam, mais alimento havia. Se dobrava o número de mãos que colhiam a safra ou que buscavam a carne, a comunidade conseguia dobrar a sua produção.

Com o tempo, a humanidade foi buscando estratégias para otimizar a luta pela sobrevivência. Domesticou animais de carga, inventou ferramentas e veículos e a produção foi aumentando, mas sempre em um ritmo linear. Mais tarde, na era da Revolução Industrial, a produção deu salto enorme. Um único ser humano podia operar máquinas e elas faziam o trabalho de cem funcionários. A velocidade do transporte e da distribuição aumentou e, pela primeira vez na história humana, a produção triplicou.

Hoje, em plena Quarta Revolução Industrial, a realidade já é diferente. As organizações estão perante uma possibilidade de aumento exponencial e desproporcionalmente grande da sua produtividade, precisamente devido ao uso de tecnologias inovadoras.

Robôs estão se tornando cada vez mais capazes em todos os estágios da produção em fábricas e indústrias. A Universidade de Oxford divulgou um relatório no qual analisou a automação do trabalho, apontando que até 2023, de 702 categorias, 47% são suscetíveis à automação. Isso indica que as projeções lineares do passado deixam definitivamente de fazer sentido em um mundo baseado em uma carga de informação e de possibilidades de crescimento exponencial.

Mas o impacto da revolução digital na produtividade das empresas não se resume ao uso de robôs. No post de hoje, mostramos como a tecnologia da Realidade Aumentada pode aumentar a produtividade nas indústrias e nas organizações como um todo. Além de melhorarem a eficiência, elas reduzem custos e incrementam as condições de segurança e a qualidade da gestão de dados, elevando a produtividade a patamares exponencias. Apresentamos aqui as principais características e as vantagens dessas ferramentas. Continue a leitura e veja o que elas têm a oferecer para a sua empresa!

 

O que é a Realidade Aumentada?

Em primeiro lugar, vamos compreender como essas ferramentas funcionam na prática. A Realidade Aumentada pode ser definida como um sistema que agrega as seguintes características:

– Combina elementos virtuais com o ambiente real;

– é interativo e tem processamento em tempo real;

– é concebido em três dimensões.

Por outras palavras, a Realidade Aumentada permite integrar o mundo virtual ao mundo real. Trata-se de um ambiente de imersão criado graças a ferramentas computacionais por meio das quais o usuário realiza determinadas tarefas. As aplicações são inúmeras, da área educacional à geologia, passando pelas indústrias, como veremos aqui.

Um exemplo popular do uso desta tecnologia é o famoso jogo Pokemon Go, que virou febre em 2016. Nele, os jogadores tinham que “capturar” criaturas virtuais projetadas na realidade pelo próprio celular.

Outro bom exemplo para compreender, na prática, como funciona essa ferramenta é pensar nas etiquetas QRCode que podem ser encontradas em pontos turísticos de cidades. Com um aplicativo leitor deste tipo de etiqueta instalado em um smartphone e com conexão à internet, o usuário pode ter acesso a uma espécie de guia virtual, que vai indicando os lugares aos quais o turista deve ir e fornecendo informações como história, curiosidades, opções de passeio e tudo mais o que for pertinente.

Portanto, o princípio básico de funcionamento desta tecnologia envolve um usuário que, a partir do uso de algum apetrecho, poderá ver o mundo real de forma aumentada, com imagens geradas por um software e projetadas no mundo. Esse apetrecho pode ser um smartphone, um tablete, óculos especiais ou até mesmo de lentes de contato. Com esses recursos, o usuário pode enxergar e interagir com elementos virtuais e guiar suas ações em determinada tarefa.

 

Quais as aplicações na Realidade Aumenta nas indústrias e organizações?

Como essa tecnologia pode ser aplicada nas indústrias e organizações? Por exemplo, a Realidade Aumentada facilita todo o processo de separação de itens nos estoques para agilizar a produção. Os colaboradores recebem instruções automatizadas, projetadas no próprio ambiente de trabalho, sobre o que separar.

Com óculos específicos, o funcionário fica com as mãos livres e consulta informações por um comando de voz, obtendo o que precisa de forma mais rápida, sem precisar se deslocar até um computador ou mesmo usar um celular. Se ele precisa coletar um determinado item em um armazém, o próprio sistema indicará, por meio de um aplicativo, aqueles que estão mais próximos, diminuindo o tempo de deslocamento e, portanto, os custos.

Em um artigo publicado na Harvard Business Review, Magid Abraham e Marco Annunziata discutiram como os dispositivos de Realidade Aumentado estão sendo usados para aumentar a produtividade dos funcionários em uma série de tarefas na primeira vez que são executadas, ou seja, sem qualquer treinamento prévio. Assim, podemos dizer que a tecnologia em questão também aumenta a produtividade ao tornar os trabalhadores mais qualificados e eficientes, gerando mais crescimento econômico e melhores empregos.

A montagem e manutenção de máquinas, por exemplo, tornam-se mais simples com o uso da Realidade Aumentada. Em vez de consultar manuais antes de fazer o reparo, agora os funcionários abrem um aplicativo, “escaneiam” um adesivo e, voilà, o aplicativo dá início a uma demonstração sobre como uma dada peça deve ser trocada. A animações que surgem na tela vão demonstrando como proceder – se antes levava-se preciosos minutos registrando papéis e consultando manuais, agora basta tirar uma foto. O resultado é um ganho significativo na agilidade dos processos.

A aprendizagem também tem muito a ganhar com estes recursos. Um exemplo de aplicação foi criado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), aqui mesmo no Brasil, que incorporou a realidade aumentada a seu material didático. Para melhor visualizar o passo a passo de um determinado processo, basta que o leitor use seu smarphone, visualizando um conteúdo bem mais didático – por exemplo, a representação tridimensional de um hidroelétrica em funcionamento. Com esses recursos, os treinamentos em relação aos mais complexos processos tornam-se bem mais didáticos. Por isso mesmo, empresas como a Boeing têm usado esta tecnologia em seus treinamentos para pilotos.

 

Além de produtividade, mais segurança

Outro aspecto que merece referência é a segurança acrescida, que também indiretamente se relaciona com a eficácia dos sistemas produtivos. O sistema da Realidade Aumentada dá acesso a informações fundamentais sobre o funcionamento da linha de montagem – por exemplo, quando uma máquina deve funcionar, quem é o funcionário responsável por ela, o que deve produzir, quanto deve produzir, quando deve passar por manutenção.

Basta colocar os óculos, olhar e as informações estarão lá, projetadas sobre a realidade. Quando algo sair fora do previsto, a plataforma sinaliza quem é o responsável e que medidas devem ser tomadas para corrigir o problema. Isso reduz o tempo de parada na linha de produção, dando mais autonomia e segurança aos trabalhadores do chão da fábrica.

Especialistas estimam que todos estes recursos podem gerar um aumento na produtividade das indústrias e empresas da ordem dos 30%.  Adotar uma ferramenta como a da Realidade Aumentada é, portanto, dar um passo em direção ao futuro e abandonar de vez os modelos lineares de aumento da produtividade.

Por hoje, é tudo. Para receber outras dicas práticas voltadas para a vida das empresas, assine a nossa Newsletter e siga nossas redes sociais agora mesmo. Estamos no Facebook, no Twitter e no Linkedin.

 

Pd Sistemas

Veja outros conteúdos