Gestão de Pessoas

O que é e como aplicar o RH Ágil?

No esporte, a agilidade está relacionada à capacidade de responder rapidamente a um estímulo externo. Dizemos que é ágil o atleta que tem controle total de suas partes do corpo e que executa movimentos com velocidade, flexibilidade e desembaraço. Portanto, podemos dizer que a agilidade é uma combinação de força, flexibilidade, equilíbrio, coordenação, habilidade e ligeireza.

Mas esse conceito não está somente ligado à performance física. Nos últimos anos, ele tem sido usado para designar um novo tipo de gestão de Recursos Humanos (RH), que se distancia daquele RH “das antigas”. Enquanto a gestão tradicional é engessada e focada apenas no desempenho burocrático e administrativo, um RH que é “ágil” detém uma função estratégica, atuando de forma diretamente articulada às metas das organizações. Por outras palavras, o RH ágil é aquele que participa, como protagonista, da administração dos rumos das empresas, ajudando-as a crescer no mercado.

Duas das características em destaque nesse novo modelo de gestão de pessoas são a velocidade e a flexibilidade. De fato, ser rápido e flexível não são atributos desejáveis apenas nos recursos tecnológicos; em alguma medida, eles devem estar presentes em todos os aspectos corporativos, mas principalmente em setores mais estratégicos das empresas.

Por isso mesmo, o movimento que deu origem ao conceito “RH ágil” foi adaptado a partir de um manifesto da área de TI, o “Manifesto Ágil de TI”, de 2001. Criado no ano de 2017 por um grupo de cerca de 30 profissionais de gestão de pessoas de todo o mundo, o “Manifesto de RH Ágil” pretendia propor novas “maneiras de desenvolver uma cultura de local de trabalho envolvente, ajudando outros a fazerem o mesmo”.

Mas, na prática, o que significa um RH ágil? Quais são os seus princípios? Como implementar essa metodologia na sua empresa? Leitor, continue com a gente que em seguida respondemos a todas essas questões!

 

O que é o RH ágil?

O RH ágil pode ser entendido como um movimento que busca propor adaptações rápidas às mudanças, com foco no cliente interno e no suporte a uma rede de times capacitados, engajados, independentes e colaborativos. O objetivo agora é estar mais perto das pessoas, promovendo as condições para que sejam mais competentes e que trabalhem e colaborem mais e melhor umas com as outras. As mudanças na abordagem podem (e devem) ser aplicadas a todos os processos do setor em questão, da contratação à avaliação de desempenho.

Por outras palavras, trata-se de um modelo de gestão de pessoas mais simples, flexível e rápido, adaptável à própria percepção dos colaboradores. Assim, em vez de um RH que atua de forma apenas relativa, apagando incêndios que, na verdade, poderiam ser evitados, migramos para um RH prospectivo, que consegue antever determinadas situações e planejar respostas. É aí que esse RH se torna estratégico e caminha de mãos dadas com as metas da organização.

No referido “Manifesto de RH Ágil”, os autores listam aquilo que um RH ágil deve valorizar mais, em detrimento de determinados fatores. Vejamos:

Mais redes colaborativas, menos estruturas hierárquicas

Mais transparência, menos sigilo

Mais adaptabilidade, menos prescrição/rigidez

Mais inspiração e engajamento, menos gerenciamento

Mais motivação intrínseca, menos recompensas extrínsecas

Mais desejo, menos obrigação

Mais Humanos e menos Recursos

Em suma, o RH ágil é aquele centrado nos seus principais clientes: os humanos. Vamos dar um exemplo, na prática, do que isso significa. Em um RH ágil, a Folha de Pagamento poderia, com o tempo, ser transferida para o setor Finanças – afinal, o core business deles é dinheiro. Assim, esse novo RH pode se concentrar em coisas mais importantes, menos burocráticas, que estão ligadas à gestão de pessoas propriamente dita.

 

Quais os princípios de um RH ágil?

Os princípios que refletem a filosofia do RH ágil são:

1) Apoiar as pessoas se envolverem, crescerem e serem felizes em seu local de trabalho.

2) Incentivar as pessoas a aceitar a mudança e adaptar quando necessário.

3) Ajudar a construir e apoiar redes de pessoas com poderes, equipes auto-organizadas e colaborativas.

4) Alimentar e apoiar a motivação das pessoas e das equipes, ajudando-as a construir o ambiente de que precisam, e confiar nelas para fazer o trabalho.

5) Facilitar e estimular o crescimento pessoal, para aproveitar os diferentes pontos fortes e talentos de um colaborador.

 

Como implementar um RH ágil?

Com base nos princípios de um RH ágil, podemos estabelecer algumas ações concretas para que essa forma de gestão seja realidade nas empresas.

 

1.º Conhecer os princípios de um RH ágil

Estude a fundo a metodologia até estar bem familiarizado com ela – este artigo, logicamente, contém apenas o básico do que um gestor precisa saber.

 

2.º Criar redes colaborativas

Como vimos, o RH ágil é que aquele que valoriza mais a colaboração, em vez de hierarquia. Implemente uma estrutura fluida e ágil nas equipes. A prioridade é a ação coletiva e o espírito de colaboração. Assim, em vez de um líder que manda e desmanda, o que se quer é um ambiente em que todos possam opinar.

Um case de sucesso no uso de RH ágil é o do banco ING. Inspirada em gigantes como o Google e a Netflix, a empresa dividiu as equipes em “tribos” e focou no espírito de colaboração. A ideia era não trabalhar com uma estrutura fixa, mas, sim, fazer com que os funcionários se adaptassem às necessidades conforme elas aparecessem. Em um período de apenas 15 meses, os resultados apareceram: segundo o banco, os funcionários se tornaram mais ágeis no lançamento de produtos, reduziram gargalos e conseguiram otimizar a experiência do cliente.

 

3.º Gerir com transparência

Faça uma gestão o mais transparente possível. Isso implica, por exemplo, em dar um retorno para quem participou de um processo seletivo, mas não foi contratado. Quando ao desempenho, dê feedbacks, mesmo que negativos, escolhendo as palavras adequadas.

O discurso dos líderes para com os subordinados deve ser sincero em relação aos momentos de dificuldade e transmitir sempre a situação real do momento, com foco na solução dos problemas.

 

4º. Investir na adaptabilidade tecnológica e estar aberto a mudanças

Rapidez e flexibilidade são extremamente importantes, como vimos.

Em um cenário em constante transformação, o gestor de RH deve estar aberto à mudança. Assim, ele deve incorporar as mais variadas soluções tecnológicas para facilitar o trabalho desenvolvido.

 

5.º Motivar a equipe

Motivar a equipe passa pela proposição de planos de carreira e condições de trabalho adequados. É possível melhorar a produtividade, aumentando o grau de satisfação com o trabalho e o reconhecimento dado às pessoas. Isso contribui para que a empresa consiga alcançar metas e objetivos mais desafiadores.

Mesmo que você não consiga implementar essas ações todas de uma só vez, a sua empresa pode ir, aos poucos, colocando em prática algumas mudanças e ir testando e aprimorando a metodologia em questão. Como vimos neste artigo, o uso da tecnologia é um dos pilares de um RH Ágil.  Por isso, é essencial que a sua empresa busque soluções mais estratégicas para aprimorar o setor.

Neste post recente publicado aqui no blog, nós abordamos detalhadamente as funcionalidades do software de Gestão de Desempenho da Senior, parceira da PD Sistemas, e neste outro post mostramos o que a sua empresa pode fazer com um módulo de Gestão de Recrutamento e Seleção. Quer levar essas soluções para o gestor de RH da sua empresa e injetar agilidade a essa gestão?  É só entrar em contato conosco agora mesmo para uma avaliação personalizada.

 

Até o próximo post!

PD Sistemas – Gestão de Resultados 

 

Para saber mais sobre as nossas soluções, preenchas os dados no formulário abaixo que entraremos em contato.

Veja outros conteúdos