Cargas esperando para serem transportados

Logística: como tornar a distribuição mais eficiente?

Logística. Essa palavra hoje tão difundida é aquilo que está por trás do pacote de massa italiana importada que a gente compra no mercadinho da esquina, ou do produto que o consumidor adquire pela internet e recebe em casa no dia seguinte.

Em sua raiz etimológica, “logística” vem do vocábulo grego “logistik”, que designa aquilo que é “relativo ao cálculo e ao raciocínio”, remetendo às quatro operações aritméticas básicas (adição, subtração, multiplicação e divisão). Essa ideia de raciocínio não desapareceu por completo do conceito moderno que hoje atribuímos a essa palavra.

De fato, a logística atualmente envolve a resolução de uma espécie de quebra-cabeças gigante, fazendo com que o mundo do séc. XXI se movimente de forma ordenada, de acordo com as necessidades das empresas e dos consumidores.

Hoje, a logística pode ser definida como a especialidade da Administração que se dedica ao provimento de recursos e de informações necessários à execução de todas as atividades de uma dada organização. Como atividade interdisciplinar, ela envolve conhecimentos de várias outras áreas, como a engenharia, a economia, a contabilidade, a estatística, o marketing, os recursos humanos e, claro, a tecnologia.

O grande desafio da logística é garantir agilidade à cadeia de operações. E é precisamente isso que nos traz ao assunto do post de hoje: que estratégias efetivas podemos utilizar para tornar essa área tão importante mais eficiente? Respondendo a essa pergunta, propomos 5 estratégias para você implementar já. Quer saber quais são elas? É só continuar a leitura!

#1 Planeje, planeje, planeje

A inteligência é o contrário de fazer as coisas por tentativa e erro. E, para isso, precisamos planejar.  Sendo assim, toda gestão racional envolve um planejamento prévio – esse é em grande parte o segredo para a eficiência de qualquer aspecto de um negócio.

Na logística, planejamento nunca é demais. Cada etapa deve ser colocada no papel – que é como quem diz na tela do computador – e pensada para que possamos visualizar gargalos e oportunidades. Essa prática é importante para permitir a identificação de aspectos em relação aos quais os custos podem ser reduzidos.

Por exemplo, uma análise detalhada pode ajudar a empresa a ver que determinada função pode ser terceirizada com ganhos significativos para a operação. Os investimentos em infraestrutura (armazenagem, frota etc.) são outro bom exemplo. Eles somente podem ser feitos com base em um planejamento que indique onde a empresa está e aonde quer chegar.

#2 Faça previsões de demanda

Esta é uma estratégia de certo modo ligada ao planejamento, mas tão importante que merece um número só para ela. A previsão de demanda é essencial para uma administração eficiente da logística. Ela consiste em análises de modo a antever o fluxo de materiais que serão necessários em uma data altura e, assim, a garantir que a estrutura de que se dispõe é suficiente para satisfazer a procura dos clientes. O resultado? Evitar prejuízos, perdas e desperdícios.

Como fazer essa previsão? Com base na análise do histórico de vendas nos anos anteriores, de estimativas geradas pela área comercial com base na atual conjuntura do país e também da consideração de eventos e fatos sazonais.  A partir desse levantamento, a empresa consegue prever, com certo grau de segurança, qual a movimentação esperada para dado período.

Há mais chances de, assim, por um lado, antecipar-se às situações e evitar sobrecarga das operações, tomando as medidas necessárias para reforçar a estrutura, e, por outro, planejar melhor como se dará a passagem por períodos de grande ociosidade, em que a demanda sofre queda.

#3 Estabeleça indicadores

É importante acompanhar de perto o desempenho de um setor tão complexo quanto o de logística. Para isso, uma estratégia realmente valiosa é estabelecer indicadores concretos e objetivos. Quer ver só?  Para contar com um indicador de qualidade em relação às entregas, pode-se considerar a relação entre as saídas totais (tudo que foi entregue) e as entregas em conformidade, isto é, sem atrasos ou outros problemas.

A partir disso, metas mais objetivas e realistas podem também ser estabelecidas. Compare a diferença entre estas duas metas:

“diminuir o atraso nas entregas”

vs.

“aumentar em 35% o desempenho do indicador de qualidade nas entregas até o final do segundo semestre de 2020”.

Só com base em critérios objetivos e mensuráveis é que podemos atingir maiores níveis de eficiência.

#4 Considere a terceirização

Terceirizar é delegar a competência de um processo ou etapa de um processo a outra empresa, de modo a readequar o foco da atuação do negócio. Essa estratégia é cada vez mais utilizada na logística de distribuição.

Por exemplo, com o atual custo dos imóveis e dos próprios aluguéis, a ideia de terceirizar galpões logísticos é uma opção para diminuir custos e melhorar o escoamento da produção. A localização de tais galpões é algo estratégico para tempos de entrega mais competitivos, diminuindo a distância entre os clientes e os produtos.

Por outras palavras, uma boa estrutura de armazenagem é extremamente importante para a competitividade das empresas, e uma boa capilaridade faz com a logística seja um processo mais ágil e eficiente.

Outra vantagem da terceirização é que ela permite que a empresa decida onde quer concentrar sua energia, seus recursos – enfim, o seu “core business”.  Podemos acrescentar outras vantagens:

– Simplificação dos processos;

– Aproveitamento da expertise de terceiros, sem ter que dispender tempo para desenvolver uma própria;

– Possibilidade de tirar proveito dos equipamentos modernos do parceiro contratado;

– Possibilidade de aumentar a exigência nos resultados;

– Potencial de aumento na qualidade do serviço prestado.

 #5 Invista em sistemas de gestão

Neste artigo, estamos listando 5 estratégias efetivas para tornar a logística algo mais eficiente. Na verdade, esta última estratégia é uma espécie de 3 em 1, pois com um investimento em tecnologia, podemos, entre outras coisas:

– Aprimorar o nível de serviço e a própria relação com os clientes;

– Evitar custos de distribuição desnecessários relacionados a rotas pouco inteligentes, traçando caminhos mais rápidos e prazos de entrega mais realistas;

– Garantir a assertividade das informações, automatizar tarefas e permitir uma gestão mais segura de todos os trâmites.

Basicamente, com os sistemas de gestão adequados podemos delegar à tecnologia tarefas que para seres humanos são até pouco complexas, mas muito demoradas, e focar a atenção em aspectos que realmente exigem inovação e criatividade. Ou seja, a automatização permite que os recursos humanos disponíveis sejam alocados para funções mais estratégicas em vez de meramente operacionais.

Vejamos alguns exemplos de processos logísticos que podem ser automatizados com sistemas de gestão:

– Integrar processos (ex. relação com parceiros, gestão de estoque e vendas);

– Rastreamento de cargas em tempo real;

– Gestão e auditoria de fretes;

– Acompanhamento do trabalho de transportadoras;

– Gerenciamento de estoques;

– Melhoria das informações prestadas aos clientes.

Atualmente, é praticamente impensável administrar a logística de uma empresa sem soluções de tecnologia. Se você quer conhecê-las melhor e trazê-las para o seu negócio, entre em contato conosco. A PD Sistemas tem soluções que podem revolucionar a maneira você gere o seu negócio.

Por hoje, é tudo. Para receber outras dicas práticas voltadas para a vida das empresas e continuar se atualizando constantemente, assine a nossa Newsletter e siga nossas redes sociais agora mesmo. Estamos no Facebook, Instagram e no Linkedin.

PD Sistemas  Gestão de Resultados

Para saber mais sobre as nossas soluções, preenchas os dados no formulário abaixo que entraremos em contato.

Veja outros conteúdos