Carinho de supermercado, com um celular obtendo as informações do mercado de forma online

Inteligência artificial no varejo supermercadista

Em posts recentes aqui no blog, temos abordado os impactos da tecnologia em diferentes setores de negócios. Sempre partindo da premissa de que a administração do futuro será digital ou simplesmente não existirá, mostramos como a ferramentas tão diversas com a robótica ou o machine learning estão revolucionando a forma de conceber e gerir as organizações.

No post de hoje, voltamos a nossa atenção para o varejo supermercadista e mostramos como a inteligência artificial (conhecida pela sigla IA) tem sido utilizada nesse setor para buscar alternativas estratégicas e alcançar resultados tão amplos que abrangem desde a uma melhor manutenção do estoque até o aumento da satisfação dos clientes.

Por inteligência artificial, entendemos aqui as ferramentas tecnológicas que derivam da reprodução da capacidade humana de raciocinar e de tomar decisões autônomas. Trata-se, em resumo, de programas de computador que são capazes de aprender com a experiência – tal como um ser humano – e usar isso para melhorar o que fazem.

A seguir, listamos 4 aplicações da IA no varejo supermercadista. Continue a leitura e saiba por que o futuro já chegou também para os supermercados.

Análise preditiva e análise de dados

Utilizando a IA, é possível analisar uma quantidade surpreendente de informações e fazer prognósticos, ou seja, tentar prever, com base científica e alto grau de confiabilidade, o comportamento dos clientes e encontrar padrões ocultos na realidade aparente caótica. Isso significa, na prática, aproveitar novas oportunidades de negócios.

Cá vai um bom exemplo dessa aplicação. Com programas de IA, é possível analisar milhares (ou milhões) de itens de compras de clientes diferentes e, assim, encontrar perfis de consumidores. Por exemplo, um supermercado, depois de fazer tal análise, descobriu que clientes do sexo masculino que levavam fraldas descartáveis também compravam cerveja, principalmente no período noturno.

Esse comportamento apontou para uma mudança de consumo dos pais, que, certamente sem tanto tempo para ir a um bar, quando recebem a missão de comprar fraldas, acabam aproveitando a ida para comprar uma cerveja no mercado e tomá-la em casa. Após a identificação de tal padrão de comportamento, o supermercado reposicionou tais bebidas em uma prateleira próxima a das fraldas. O resultado? As vendas de fraldas e cervejas dispararam.

Outro exemplo é o consumo de vinho aliado a queijos. O supermercado pode identificar que combinações desses produtos são mais frequentes – Cabernets são comprados junto com queijo provolone; os camemberts, com a uva Chardonnay. A partir da IA, o supermercadista pode identificar esses padrões e oferecer novas promoções aos seus clientes, por meio de ofertas personalizadas e de não meros panfletos generalistas.

Esse tipo de análise pode também ser feita por regiões geográficas, ajudando a determinar que os produtos que vendem mais em determinadas cidades e que produtos são rejeitados em determinados locais. Depois disso, a administração poderá tomar as medidas cabíveis para impulsionar as vendas.

Monitoramento da concorrência e política de preços

Qualquer gestor sabe que conhecer a concorrência é fundamental para o sucesso dos negócios. Delegar a um conjunto de funcionários a tarefa de verificar in loco os preços praticados por outros supermercados, registrando-os em planilhas de papel, é coisa do passado. A Inteligência Artificial faz uma coleta de dados online e já oferece os demonstrativos em forma de comparação e em tempo real. As possibilidades que esse conhecimento oferece aos gestores tem, obviamente, um grande impacto para os negócios.

Além disso, a precificação dinâmica ajuda os supermercadistas a aplicarem uma política de preços mais competitiva e lucrativa. Vejamos um exemplo. Quando um usuário pede um Uber em horário de pico, ele encontra valores mais elevados, certo? As empresas supermercadistas agora podem contar com essa mesma possibilidade de alterar o valor dos seus produtos ao longo de um mesmo dia, de acordo com flutuações na demanda ou variações sazonais. Por exemplo, logo no início do dia, em que a seção de frutas, legumes e verduras está fresquinha, pode-se cobrar mais em relação ao final do dia, altura em que a qualidade das mercadorias será outra e a procura também terá diminuído.

Etiquetas eletrônicas

As etiquetas eletrônicas instaladas nos produtos permitem que, com apenas um clique, o gesto altere o preço de determinados itens em todas as lojas físicas e também no e-commerce, por quanto tempo quiser. Além disso, ele pode estabelecer padrões para uma precificação dinâmica automatizada. Ou seja, a IA pode ser parametrizada para fazer as alterações de preço automaticamente, de acordo com regras como fluxo de pessoas na loja, temperatura e clima ou intempéries. Quando estiver um dia frio, por exemplo, o valor dos ingredientes da sopa pode oscilar para cima; quando estiver calor, o preço dos sorvetes pode subir.

As etiquetas eletrônicas também permitem uma melhor gestão do estoque, uma vez que criam um banco de dados, atualizado em tempo real, de tudo que está dentro da loja e a que ritmo é vendido.

Novas experiências de consumo

Alguns supermercados são hoje pioneiros em tecnologias que serão banais daqui a uns anos: prateleiras monitoradas por câmeras, sensores de cobrança automática e consequente ausência de filas.

O Amazon Go, por exemplo, é um supermercado no qual não existem atendentes nem caixas. Para comprar, basta pegar um produto e sair com ele da loja; não é preciso passar pela caixa registradora. A IA, aliada a outras ferramentas, automaticamente reconhece o consumidor e efetua a cobrança diretamente no seu cartão de débito. Para tanto, o cliente deve apenas baixar um aplicativo e ter uma conta da Amazon. Além disso dar mais privacidade às compras, pois o cliente não precisa mostrar a um ser humano o que está comprando, a tecnologia elimina as filas e torna uma ida ao supermercado algo muito mais rápido, seja em que horário do dia for ou em que dia da semana for.

Além disso, com a IA, as experiências de compra no varejo supermercadista ficarão cada mais personalizadas. Consequentemente, as estratégias de marketing serão muito mais direcionadas e eficazes. Com um simples aplicativo, é possível manter uma relação muito mais próxima com o cliente, oferecendo-lhe promoções à medida do seu perfil de consumo e abastecendo as lojas com produtos distribuídos de forma estratégica para cada região e tipo de público.

O uso da tecnologia no setor supermercadista é fundamental para garantir a sobrevivência dos negócios. Como vimos, a IA oferece ferramentas para administrar uma ampla de aspectos, seja balcão para dentro (da logística ao estoque) ou do balcão para fora, melhorando a experiência do cliente na loja.

É importante frisar que as inovações aqui referidas não se limitam às grandes superfícies. Pequenos e médios negócios também podem aproveitar as vantagens destas tecnologias como vantagens competitivas. Se esse é o seu caso e você ainda tem alguma dúvida de como a tecnologia pode impactar o seu negócio, entre em contato conosco agora mesmo e conheça as soluções personalizadas que a PD Sistema oferece para o varejo supermercadista.

Por hoje, é tudo. Para receber outras dicas práticas voltadas para a vida das empresas, assine a nossa Newsletter e siga nossas redes sociais agora mesmo. Estamos no FacebookInstagram, e no Linkedin.

PD Sistemas  Gestão de Resultados

Veja outros conteúdos