Chão de fábrica

Gestão do chão de fábrica: saiba como fazer

O chão de fábrica é o coração da indústria, o ponto forte de sustentação da estrutura organizacional. Isso significa que, se esse nível falhar, é bem provável que tudo o resto desabe.  Além disso, é nessa parte operacional que encontramos a maior parte dos funcionários. Aliado a esse capital humano, temos as máquinas e matérias-primas formando uma complexa teia logística que deve ser administrada pelos gestores.

Negligenciar a importância do chão de fábrica e gerir a dimensão operacional na base do “achismo” pode levar a problemas tais como:

– falhas de segurança;

– perda de produtividade (não só de operadores, mas também de máquinas);

– perda do controle das variações nos níveis de produtividade diária;

– ausência de uma aferição fidedigna do custo e do tempo de produção;

– avarias e manutenções inesperadas que podem até levar à total interrupção dos processos produtivos.

– baixa rastreabilidade, padrão de qualidade que deixa a desejar e ausência de indicadores de desempenho claros.

Por outro lado, uma boa gestão do chão de fábrica faz o acompanhamento incessante dos níveis e produção e, com esses dados, estabelece indicadores de desempenho e identifica gargalos. Além disso, é capaz de planejar todo o processo produtivo – do início ao fim, considerando os mínimos detalhes, avaliando os setores e recursos mais sobrecarregados e mais ociosos e promovendo os ajustes e remanejamentos necessários. Qual o resultado disso tudo? Basicamente, redução de desperdícios e aumento dos lucros – o sonho de todo gestor.

Como, então, alcançar uma gestão de excelência e fazer com a sua indústria cresça? É precisamente esse o assunto que nos traz ao post de hoje. Continue a leitura e confira estratégias para impulsionar o chão de fábrica.

Estratégias para impulsionar a gestão do chão de fábrica

A seguir, listamos uma série de estratégias que têm provado ser técnicas de excelência na hora de conduzir o gerenciamento das indústrias no nível operacional.

#1 Estabeleça um planejamento estratégico

O planejamento estratégico é o documento que ajuda qualquer empresa a determinar onde está, aonde quer chegar e o que fazer para que isso aconteça. Em organizações nas quais se verifica um predomínio de uma administração – o tal “achismo”, esse planejamento fica muitas vezes apenas na cabeça do gestor, o que não é uma boa prática. O ideal é os valores, os objetivos, as ideias e as práticas que direcionam os negócios sejam formalizados e compartilhados com todos.

O planejamento ajuda a antever os problemas e diz-nos o que fazer quando eles acontecem. Além disso, é por meio desse documento que se tem uma ideia panorâmica das tarefas desenvolvidas nas linhas de produção. Com isso, pode-se controlar melhor a distribuição dos recursos humanos, das matérias e dos investimentos.

O ideal é que o planejamento estratégico comece traçando um diagnóstico do chão de fábrica, identificando eventuais falhas no seu ciclo produtivo (por exemplo, gargalos como máquinas pouco produtivas). Em seguida, vêm os objetivos e a lista de prioridades dos aspectos a serem aperfeiçoados/atingidos, bem como os mecanismos de controle e indicadores de aferição.

#2 Acompanhe constantemente os níveis de produção

Para um bom gerenciamento do chão de fábrica, é essencial acompanhar cada detalhe, diariamente – ou seja quanto mais dados, melhor. Afinal, eles são a chave de uma gestão bem fundamentada. Com a análise dessas informações em mãos, a empresa poderá saber, por exemplo, quais áreas ou máquinas estão sendo sobrecarregadas ou quais estão ociosas e por quanto tempo. Se o gestor identifica rapidamente uma queda de produção em determinado setor, ele pode intervir precocemente, evitando paralisações e prejuízos.

Portanto, podemos afirmar que um bom gestor é uma espécie de Sherlock Homes – um detetive que investiga causas e toma decisões baseadas em evidências. Como fazer isso? Já chegaremos lá.

#3 Foco nos equipamentos

A par dos recursos humanos, as máquinas e equipamentos são uma dimensão essencial do chão de fábrica, uma parte da engrenagem produtiva que tem impacto direto nos resultados. Por outras palavras, se as máquinas falham, a produção para; se a produção para, temos dispêndio de recursos e, portanto, prejuízo.

Tempo ocioso e avarias não estão no vocabulário de uma gestão de excelência. Por isso, o ideal é investir na manutenção preventiva – ou seja, prever de quanto em quanto tempo uma máquina avaria e toma as medidas necessárias para impedir que isso aconteça. É claro que isso só é possível com base no monitoramento constante das atividades do chão de fábrica.

#4 Estabelecer boas políticas de gestão de recursos humanos

Articulada às estratégias que já enunciamos, principalmente a do acompanhamento constante de índices e da produtividade, temos a implementação de boas políticas de recursos humanos. Valorizar os operadores do chão de fábrica em todos os níveis hierárquicos e instituir incentivos ao bom desempenho podem aumentar a produtividade como um todo. A distribuição de premiações para quem mais se destacar é uma ideia nesse sentido.

Tais políticas estabelecem um clima saudável de competição e, de quebra, impulsionam os resultados.

#5 Tire o melhor proveito da tecnologia

O chão de fábrica está para a indústria assim como a tecnologia está para uma gestão de excelência – ambas (chão de fábrica e tecnologia) ocupam a posição central.

Falamos, nas estratégias enunciadas anteriormente, em monitoramento constante dos processos e em tomada de decisão baseada em dados. Mas como fazer isso de forma efetiva se não tivermos os meios adequados, que realmente deem conta da complexidade envolvida em uma indústria? É aqui que entram as soluções de tecnologia.

Implementar um bom sistema de gestão de chão de fábrica vai permitir ao gestor:

– coletar dados sobre todas as atividades em tempo real, desde o tempo que a máquina X ficou parada até os número de peças produzidas em um dia por determinado setor;

– analisar os dados coletados, contando com relatórios e gráficos que ajudam a digerir as informações;

– fazer uma gestão integrada aos demais sistemas utilizados na fábrica.

Em tempos cada vez mais desafiadores, é essencial buscar melhorias em todas áreas. Para implementar uma gestão de excelência no chão de fábrica, conte com as soluções tecnológicas da Sênior, parceira da PD Sistemas. Voltados para a realidade das indústrias, os nossos softwares permitem, entre outras coisas, conhecer os tempos reais de produção e os custos reais de fabricação associados, aspectos essenciais para aumentar a produtividade. Quer saber mais? Entre em contato conosco agora mesmo.

Bom, por hoje, é tudo. Para receber outras dicas práticas voltadas para os negócios e continuar se atualizando constantemente, assine a nossa Newsletter e siga nossas redes sociais agora mesmo Estamos no  FacebookInstagram e no Linkedin.

Até o próximo post!

PD Sistemas – Gestão de Resultados 

Veja outros conteúdos