duas pessoas distribuindo as entregas do estoque

Business Intelligence no distribuidor: comece já!

Já lá se foi o tempo em que os negócios eram conduzidos com base na intuição, no “achismo” e na tentativa e erro. Hoje, todas as decisões de uma empresa devem ser tomadas com base na racionalidade – ou seja, dados, estatísticas e informações processadas e interpretadas de forma correta.

 

É nesse contexto que surge o Business Intelligence (Inteligência de Negócios, em português). Trata-se de uma ferramenta que ajuda as empresas a tomar as decisões inteligentes, por meio de dados recolhidos pelos diversos sistemas de informação. Teorias, metodologias, processos e estruturas que ajudam a transformar grandes quantidades de informações na tomada de decisões fundamentadas e com mais chances de sucesso.

 

No post de hoje, mostramos como o Business Intelligence (BI) pode ser aplicado no distribuidor e quais são os benefícios envolvidos. Continue a leitura e saiba como começar já a usar a ferramenta!

 

 

Análises de dados de forma mais precisa

 

Nos atacados distribuidores, as pessoas responsáveis pela tomada de decisões devem ter acesso a indicadores reais para estarem ciente da situação da operação em um dado momento. Nível dos estoques, desempenho dos colaboradores, compras, pagamentos… São milhares de informações que importam, mas que, juntas, ultrapassam a capacidade humana de processamento. Mas esses indicadores apontam para onde os gestores devem implementar eventuais ações corretivas.

 

É aí que entra o BI como uma solução que pode ajudar a conduzir uma análise de dados mais precisa, proporcionando recursos visuais que permitem a identificação de pontos críticos, que merecem mais atenção.  

 

 

Fim dos dados dispersos

 

Consolidar as informações é, por um lado, uma tarefa essencial, mas que, por outro, demanda bastante tempo, trabalho e, claro, gastos. Imagine uma empresa cujo diretor comercial precisa reunir informações atualizadas para avaliar a performance da equipe de vendas e tomar decisões a partir disso. Nesse caso, ele terá que solicitar dados para os diversos integrantes do time de vendas e organizar tudo manualmente. Quando finalizar o trabalho, é capaz de os dados já estarem desatualizados.

 

Essa avaliação da performance do setor de vendas é apenas um exemplo entre muitos que mostram como ter a mãos dados fresquinhos e bem organizados é essencial. O BI pode ajudar e muito nessa tarefa. A ferramenta é capaz de reunir, consolidar e padronizar, de forma automática, informações diversas, proporcionando segurança e racionalidade ao processo de decisões.

 

 

 

Redução do tempo entre os acontecimentos e as tomadas de decisão

 

Um grande volume de informação demora tempo para ser processado. As análises devem acontecer em tempo real, com o mínimo de delay possível para que as intervenções acontecem na hora certo. Tempo é dinheiro – essa é a regra de ouro também nos negócios. Por isso, o fator tempo é, sem dúvida, outra das grandes razões para adotar o BI no setor de distribuição.

 

Ao automatizar a análise de informações, essa ferramenta deixa tudo mais ágil, reduzindo o tempo de resposta e tornando as decisões mais efetivas.

 

 

Troca de informações

 

Um distribuidor precisa que seus colaboradores falem o mesmo idioma corporativo, ou seja, que trabalhem todos em prol do mesmo objetivo e tenham conhecimento das situações mais importantes.

 

Uma ferramenta de BI serve de apoio para que as equipes compartilhem informações entre si, por meio de alertas e relatórios, estimulando uma gestão proativa e ágil e diminuindo os custos operacionais. Além disso, com o BI podem ser criados dashboards que compartilham com o time os indicadores de performance para um dado momento. Eles podem ser transformados em uma espécie de “painel de controle”, permitindo que todos saibam o que é esperado de cada um.

 

Esse intercâmbio de informações garante uma gestão mais transparente do processo decisório.

 

Dicas de como implementar uma solução de BI:

Veja a seguir algumas dicas de como colocar em prática uma ferramenta de BI no seu negócio.

 

 

Primeiro passo: defina um responsável pelo projeto

 

É fundamental escolher alguém para liderar o projeto de Inteligência de Negócios, alguém a quem as diferentes equipes possam se reportar.

 

Pode ser alguém como o diretor administrativo ou mesmo o principal executivo da empresa – não é preciso conhecimento técnico, afinal a pessoa responsável pode sempre contar com o apoio da área de TI.

 

 

Segundo passo: eleja área prioritárias.

 

Estabeleça quais serão as áreas prioritárias na qual o projeto de BI será aplicado: compras, logística, financeiro, recursos humanos. Definir as áreas prioritárias significa resultados mais rápidos e precisos. Por exemplo, se você deseja identificar os gargalos nas entregas, comece por aplicar a ferramenta nos setores ligados a esse aspecto do negócio.

 

 

Terceiro passo: levantamento de indicadores

 

Como terceiro passo, sugerimos que se proceda a um levantamento diagnóstico, de modo a saber onde está e aonde deseja chegar.  Estabeleça metas e usa a ferramenta de forma direcionada.

 

Por exemplo, se a meta é aumentar as vendas em X%, pode-se começar por monitorar esse indicador, identificando o comportamento de vendedores e clientes – com que periodicidade eles compras, em que quantidades, o que geralmente compram. Essas informações podem ser projetadas em um painel de gestão baseado em BI, que ajudará a tomar as decisões.

 

Se você leu esses benefícios e quer implementá-los no seu negócio, entre em contato conosco. A PD Sistemas tem soluções de Business Intelligence que podem revolucionar a maneira você gere o seu negócio.

 

Por hoje, é tudo. Para receber outras dicas práticas voltadas para a vida das empresas e continuar se atualizando constantemente, assine a nossa Newsletter e siga nossas redes sociais agora mesmo. Estamos no FacebookInstagram e no Linkedin.

 

PD Sistemas – Gestão de Resultados

Veja outros conteúdos