Produção de cerveja artesanal com solução PD Sistemas

Afinal, o que é uma cadeia de suprimentos inteligente?

Antes de serem comercializados e de chegarem até os clientes, os produtos são idealizados e depois produzidos em uma ou mais fábricas, transportados para armazéns e só então para os retalhistas ou para os próprios consumidores finais. “Cadeia de suprimentos” é o nome atribuído a todo esse processo relacionado, seja direta ou indiretamente, à execução do pedido de um cliente. Isso inclui não apenas o fornecedor de matérias-primas ou o fabricante, mas também os armazéns, as transportadoras, os varejistas e os consumidores finais.

A administração de todo esses atores, de modo a que a mercadoria seja produzida nas quantidades ideias e que chegue aos clientes na localização certa e no prazo correto, com custos reduzidos, recebe o nome de “gestão da cadeia de suprimentos”. Dada à complexidade envolvida, esse aspecto da vida das organizações sempre constituiu um grande desafio.

Há pouco tempo, essa gestão, que até então era feita de modo tradicional, ganhou um aliado de peso: a inteligência artificial. A chamada “gestão inteligente da cadeia de suprimentos”, também conhecida como “intelligent supply chain management”, é uma alternativa hoje suficientemente difundida para estar ao alcance da maioria das empresas e que pode aumentar os lucros, reduzir os custos e impulsionar a competitividade no mercado.

 

Pensando na importância que a cadeia de suprimentos inteligente apresenta para o atual cenário da indústria, neste post trazemos um resumo do que você precisa saber para estar inteirado sobre este tema. O que é, em detalhe, uma gestão inteligente da cadeia de suprimentos e como funciona na prática? Como aplicá-la na sua empresa? Quais os principais benefícios que ela traz? Continue a leitura e saiba as respostas a essas questões.

 

O que é uma cadeia de suprimentos inteligente?

Bom, como já referimos na Introdução deste artigo, é considerada como uma cadeia de suprimentos inteligente aquela que faz uso de alguma tecnologia de inteligência artificial. Esta, por sua vez, parte da premissa básica de que é possível imitar a inteligência humana, por meio de mecanismos ou de softwares.

Portanto, na prática, a cadeia inteligente envolve o uso de máquinas e de equipamentos que reproduzam características da inteligência humana e que automatizam aspectos do processo. Essa aplicação tanto por acontecer nos armazéns, quanto na produção ou no próprio relacionamento com consumidores e fornecedores.

Por exemplo, o “Radio Frequency Identification”, ou Identificação por Rádio Frequência, é um mecanismo de identificação que permite registrar de forma automática cada produto que entra e que sai em uma fábrica, aumentando significativamente a rastreabilidade de cada item. A tecnologia da Internet da Coisas, por sua vez, tem sido usada em sensores, equipamentos, máquinas e ferramentas das fábricas para trocar informações via internet em tempo integral.
Vejamos alguns outros exemplos práticos da aplicação da inteligência artificial na cadeia de suprimentos:

– Uso de impressoras 3D nas linhas de produção;

– Uso de veículos autônomos, ou seja, autodirigidos;

– Entregas por drone, como as já utilizadas pela Amazon;

– Total automação de linhas de montagem e operações de armazéns.

 

Quais são as principais vantagens proporcionadas por uma cadeia de suprimentos inteligente?

Para além da redução dos custos e do consequente aumento dos lucros já apontados como vantagens na gestão inteligente, há muitos outros benefícios. Vejamos.

– Qualidade, agilidade e padronização com a automação de processos

Com a eliminação de muitas rotinas realizadas de forma manual, a automatização de processos ao longo das linhas de produção ou montagem proporciona muito mais rapidez e agilidade na cadeia de suprimentos.  Com recurso a robôs e a outras tecnologias de inteligência artificial, as rotinas ficam padronizadas, atingindo patamares mais elevados de qualidade, menos suscetíveis a erros – e tudo com mais economicidade.

 

– Rastreabilidade dos itens produzidos

Com modernos softwares e sistemas robustos, aplicadas em tecnologias como Inteligência Artificial, IoT e Machine Learning, os gestores das cadeias de suprimentos passam a ter um controle muito maior de cada etapa do processo. Mais do que isso, a partir de dados concretos, consegue-se antecipar problemas e encontrar soluções muito mais rapidamente.

Por exemplo, é possível atribuir uma identidade única a cada item produzido e rastrear cada unidade de produto durante todas as operações, da embalagem à expedição.


– Controle da manutenção

Em uma gestão inteligente, a manutenção da sua cadeia de suprimentos – falamos dos equipamentos utilizados – fica muito mais previsível e sob controle. Com base na análise de milhares de dados sobre o parque tecnológico das fábricas, há aplicativos específicos que identificam potenciais interrupções com alto grau de precisão e ajudam inclusive a encontrar a melhor solução. Assim, calcula-se que os custos com perdas, estoque e frete podem ser reduzidos em até 75%.


Como adotar uma cadeia de suprimentos inteligente?

A seguir, preparamos algumas dicas para você que está pensando em migrar para uma cadeia de suprimentos inteligente. Vejamos.


Invista na automação de processos

Como vimos, processos automatizados estão relacionados a rapidez, a agilidade, a maior qualidade e a padronização. Faça uma análise cuidadosa dos processos da sua empresa e procure identificar aquilo que consume tempo e que é realizado de forma burocrática. Em seguida, estude adotar uma ferramenta à disposição no mercado que automatize esse aspecto.

Por exemplo, de um sistema em que os funcionários fazem o registro manual do relacionamento com os fornecedores é possível migrar para um software que registre não só esses contatos, mas que diga quando esses contatos devem ser feitos.

 

Use o Big Data

Você sabia, por exemplo, desde 2004, a empresa americana UPS proibiu que os seus motoristas de virarem à esquerda? Segundo a empresa, fazer essa manobra implicava mais tempo de espera na rua e mais risco de colisão. A proibição permitiu entregar 350 mil pacotes a mais e economizar, por ano, cerca de 38 milhões de litros de combustível.

Isso tudo foi possível graças ao Big Data, ferramenta que permite a coleta e a análise automática de dados. No caso da UPS, a partir da análise de trilhões de potenciais rotas, um sistema determina o caminho mais conveniente e eficiente para os motoristas.

 

Considere investir em tecnologias de machine learning

O machine learning ou “aprendizagem da máquina” é uma ferramenta de inteligência artificial extremamente importante. Com base na coleta e no cruzamento de dados e outros processos, as máquinas podem aprender, de modo semelhante aos seres humanos.

Por exemplo, a partir da análise do histórico de produção, de vendas e do cenário do mercado, atualmente há softwares que realizam uma previsão de demanda. Além disso, robôs atualmente especializados são treinados para trabalhar mesmo em ambientes caóticos, enfrentando com sucesso vários imprevistos e adaptando-se às mais diferentes situações.

 

Por hoje, é tudo. Agora que você já sabe o que é uma cadeia de suprimentos inteligente, continue a receber outras dicas práticas voltadas para a vida das empresas. Assine a nossa Newsletter e siga nossas redes sociais agora mesmo. Estamos no Facebook, Instagram, Twitter e no Linkedin.

 

PD Sistemas

 

Veja outros conteúdos